Arquivo do mês: março 2011

Pufe Festa

Eu já mostrei  no blog as lindas mandalas  da designer Isabela Castello, feitas com reaproveitamento de madeira que você pode ver clicando aqui.
Além de seu trabalho como artista visual, Isabela tem a Eco.lógica Design com peças criadas por ela e designers convidados, sempre preocupados com o reaproveitamento de materiais, com a preservação do ambiente, com a sustentabilidade, como o nome escolhido diz.
O último release que recebi foi do Pufe Festa, olha que festa!!

O Pufe bem colorido é produzido com resíduos industriais de E.V.A (etil-vinil-acetato, ou etileno-acetato de vinila) triturados.

Pra saber mais e comprar:
www.ecologicadesign.com.br

O que é o E.V.A?
O E.V.A. (etil-vinil-acetato, ou etileno-acetato de vinila) é um polímero de lenta decomposição. Ao contrário dos materiais termoplásticos, que podem ser amolecidos e endurecidos repetidas vezes, os polímeros termo fixos como o E.V.A. solidificam-se através de uma reação química não reversível por calor, sendo, portanto de difícil reprocessamento. Depois de moldado, não podem ser reprocessados. O descarte de resíduos de E.V.A. constitui um sério problema ambiental. Como o E.V.A. tem uma massa unitária baixa, o volume gerado é muito grande e as áreas para a sua armazenagem (aterros sanitários) começam a ficar escassas. Além disso, o E.V.A. não é biodegradável e leva de 250 a 400 anos para se decompor. Uso do E.V.A. como matéria-prima para a produção de objetos de decoração colabora para a reversão de um grave dano ambiental.

Informações enviadas  pela Agência Namoska Comunicação.

1 comentário

Arquivado em Acessórios com Arte

Feche as torneiras! Se pretendes navegar…

Hoje é comemorado  o Dia Mundial da Água, que foi criado pela Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas visando a conscientização da importância da água para o planeta, planejando várias ações educativas e informativas e trabalhando a cada ano com foco nas necessidades e em tópicos que devem sempre ser abordados e desenvolvidos, como  problemas de abastecimento de água potável, aumentar a consciência pública, de governos, de setor privado, da importância na preservação e proteção das fontes de água, entre outros pontos, com ajuda da imprensa e dos estados envolvidos.

Então, pensando nisto,  nada melhor do que fechar as torneiras, cuidar do consumo e do uso que fazemos da água.
É um privilégio ter água pra tomar banho, beber, escovar os dentes e tantas outras coisas corriqueiras da nossa vida. A água pode parecer infinita, mas não é, então controle o tempo do banho, feche a torneira enquanto escova os dentes, não lave a calçada todos os dias, reaproveite o que puder!
Higiene não é sinônimo de desperdício!
Somos um país privilegiado e temos fontes de água pura e limpa na maior parte das regiões, somos ricos: água vale mais que ouro!

Uma ótima dica pra conhecer mais sobre esta substância fundamental é a Exposição Água na Oca no Ibirapuera em São Paulo,  com tecnologia, arte e que é também  interativa.
Água na Oca
De 26 de novembro de 2010 a 8 de maio de 2011
Pavilhão Lucas Nogueira Garcez – Oca
Av. Pedro Álvares Cabral, S/N – Portão 03, Parque Ibirapuera, São Paulo
Olhem o site pra ver os valores de ingressos e horários aqui.

Daniel Fontoura - Metropolitan River (2008)

Água é saúde:
Tome de seis a oitos copos de água por dia.
Ao acordar comece o dia com dois copos de água e se possível morna.
Tomar banho faz bem, mas nada de água quente, água mais fria neste caso é saúde.
Andar com os pés na àgua é bom e fortalece a musculatura, aproveite o mar e a piscina do clube.
Não beber água ou líquidos  durante e após as refeições.

Deixe um comentário

Arquivado em Arte, água, Comemoração, Exposições

Autorretrato

Autorretrato é um dos nossos projetos do primeiro semestre de 2011, exposição coletiva, catálogo e  palestra sobre o tema.
Escrito com rr e sem hífen: nova ortografia.
Todas as técnicas e possibilidades tem me encantado: fotografia, escultura, colagem, pintura… ou tudo junto e misturado.
Convidei também a escritora e curadora Katia Canton pra falar sobre o tema, apaixonada pelo assunto, ela escreveu o livro Espelho de Artista da editora Cosac Naify, um livro infanto juvenil que serve para todas as idades, nele  a autora analisa as diferentes formas que o homem encontrou para se representar, desde a pré história, até a pintura de Rembrandt, Modigliani ou Flávio de Carvalho, seja com telas, esculturas e até instalações, o autorretrato é uma forma de registro e compreensão do seu lugar no mundo.
Bom, quem me conhece sabe que sou das artes, dos projetos, mas nada de pintura, nem escultura, nem colagem,  meu talento não é este, mas mesmo assim fiz o meu autorretrato, os lábios estão bem mais carnudos que o “eu” real, mas em tempos contemporâneos a representação não é literal, o que vale é a idéia!

Meu autorretrato é capa do meu Sketchbook.
A idéia do caderno é boa, mas expressada por uma simples mortal!
Logo teremos aqui no blog os Sketchbooks que minhas queridas Adri Volpi e Bel Miller desenvolveram, aí sim poderemos chamar de cadernos de artista.

E os autorretratos dos artistas participantes do projeto!!

7 Comentários

Arquivado em Arte

Pintando no iPad e no iPhone

Há pouco tempo um dos artistas considerados dos mais influentes da atualidade, David Hockney, fez uma exposição com cerca de 200 obras criadas no iPhone e no iPad na Fundação Pierre Bergé-Yves Saint Laurent. Segundo o artista, que começou a pintar o que via com o dedo em seu iPhone, lápis e papel não serviriam, porque foi a luminosidade da tela que o provocou.

Várias pontos foram levantados com a exposição do artista, como uma obra criada assim pode ser facilmente reproduzida e vista em qualquer monitor e em qualquer parte do mundo, deixa de existir a aura do original, da obra de arte que não pode ser copiada, única e na maioria das vezes distante, basta estar conectado pra ver o trabalho.
Outra questão é a venda ou não destas obras, pela fácil reprodução, qual seria o caminho para comercializá-las, impressões assinadas?
No caso de David Hockney isto não foi uma preocupação e parece que não havia a intenção de vender.

David Hockney não foi o primeiro a criar no iPad, artistas gráficos tem feito isto, como o designer Jorge Colombo que desenhou a capa de uma edição da revista New Yorker, na rua,  em seu iPhone, a importância da exposição de David Hockney está nos questionamentos específicos levantados para o mundo das artes.

Eu deixo de lado as questões e espero que o futuro se encarregue delas, afinal vivemos a era da tecnologia e nada mais natural do que os artistas usarem as ferramentas a favor da criatividade.

Infelizmente, estas ferramentas ainda não fazem milagre, quem não desenha e não é um artista, não vira um com alguns aplicativos e acessórios para Iphone e iPad.

David Hockney


Jorge Colombo

Alguns aplicativos e acessórios:
Brushes, Artrage, Sketchbook Pro, Inspire Pro, Nomad Btushes(pincel).
E a Corel também lançou aplicativos gratuitos pra iPhone e iPad.
Para maiores informações entra no site corel clicando aqui.

1 comentário

Arquivado em Arte

Escultura na abertura da novela Insensato Coração

Já falei outras vezes de  abertura de novelas que mostraram obras de artistas plásticos. O primeiro post foi sobre a abertura com a obra de Vik Muniz que você vê clicando aqui, o segundo foi com Aldemir Martins que você pode ler clicando aqui e este terceiro da atual novela do horário nobre da Globo, Insensato Coração que utiliza a escultura desenvolvida pelo artista plástico do Zimbabwe, John Chipiri.
Abertura dirigida por Hans Donner tem como estrela a escultura que simboliza uma família estilizada e que foi escolhida de acordo com o briefing passado pelos autores da novela.

Mais uma forma de aproximar culturas, conhecer arte de lugares distantes, divulgar pra milhões de pessoas, só que neste caso gostaria que fosse um escultor nosso, nada contra o escolhido, cuja obra é bonita e a história interessante, mas temos tanta diversidade, escultores com obras maravilhosas e tão pouco conhecidos,  que fiquei “bairrista” nesta situação e demorei pra compartilhar a informação que já circulou por outros motivos: a comparação da obra com o logo das Olimpíadas do Rio 2016.

42 Comentários

Arquivado em Arte, Esculturas