“A Cerâmica de Nelise Ometto”

Hoje, dia 17 de abril, é o lançamento do livro “A Cerâmica de Nelise Ometto” de autoria de Enock Sacramento sobre o trabalho da artista plástica Nelise Ometto.
Acontece na Galeria de Arte Joh Mabe com a exposição que tem o título “Árvore é Não Árvore” e curadoria de Fernando Flexa.
A belíssima obra abaixo, “Gloriosa”, é a capa do livro e convite.

NELISE OMETTO LANÇA LIVRO DURANTE EXPOSIÇÃO

Será lançado no próximo dia 17, terça feira, das 19 às 23 horas, no Joh Mabe Espaço Arte & Cultura, à Av. Brigadeiro Luiz Antônio, 4225, São Paulo, durante exposição individual de cerâmicas o livro A Cerâmica de Nelise Ometto, de autoria de Enock Sacramento, com patrocínio do Grupo São Martinho e apoio institucional do Ministério da Cultura através da Lei Rouanet.

A Cerâmica de Nelise Ometto tem 120 páginas e está dividido em sete capítulos: Período de Formação, No Ateliê Usina, No Ateliê da Rua Laboriosa, A pintura e a Cerâmica, Esculturas Cerâmicas, Sobre Nelise e Cronologia. O capítulo Sobre Nelise engloba três textos sobre a artista assinados por Megumi Yuasa, seu mestre, Jacob Klintowitz e Fernando de Abreu Ribeiro Filho. O primeiro é inédito e os dois últimos datam de 2007. O livro Inclui ainda alguns textos curtos da artista, à guiza de depoimentos.

A exposição, intitulada Árvores não-árvores tem curadoria de Fernando Flexa , que também responde pela direção de arte do livro. Reúne, no térreo da galeria, cerâmicas recentes de autoria de Nelise Ometto, referenciadas na árvore; no andar superior serão expostas técnicas mistas sobre tela, realizados com utilização de pintura e cerâmica. A mostra ficará aberta até o dia 30 de Marco, de segunda a sexta das 10 às 19 horas e aos Sábados, das 10 às 13 horas.

NELISE OMETTO

Nelise Ometto nasceu em Curitiba, mudando-se muito cedo para Ribeirão Preto. Passou a infância e a adolescência em Ribeirão Preto, mudando-se, em 1961, para Limeira e, no fim dos anos 70 para São Paulo. Em 1980, inicia seus estudos de cerâmica com Megumi Yuasa, permanecendo no ateliê do mestre por 6 anos. Em 1983, instala ateliê em Iracemápolis, a 70 quilômetros de São Paulo e começa a expor sua obra no ano seguinte. A partir de então, participa de numerosas exposições coletivas no Brasil e no exterior e realiza duas exposições individuais, uma no Espaço Cultural Yázigi (1990) e outra no Museu Brasileiro de Escultura (2007), ambas em São Paulo.

“Acredito que o ato de abrir o forno, após a queima de uma peça única de cerâmica, sempre gera uma emoção, combinada com a expectativa e a ansiedade em descobrir como será o resultado final de todo um processo, que se iniciou a partir de um simples bloco de argila”, afirma a artista. E continua: “E esta emoção tem sido assim, desde a queima da minha primeira peça, um singelo vaso que batizei de Vestido de Bailarina. Aqui se inicia uma vida apaixonada por argilas, esmaltes e pelo calor de um forno de alta temperatura. O ceramista, com certeza, domina todo o processo, mas a última palavra sempre será a do fogo”, conclui.

O AUTOR

“A Cerâmica de Nelise Ometto” é o 27º livro de autoria de Enock Sacramento, que é membro das Associações Paulista, Brasileira e Internacional de Críticos de Arte. Participou de mais de 150 júris de salões de arte, curou mais de 100 exposições no Brasil, América Latina, Estados Unidos e Europa, prefaciou cerca de 250 catálogos de exposições e publicou no ano passado cinco outros livros: “A arte de Ramon Cáceres”, “Chico Niedzielski”, “A Escultura de Margarita Farré”, “Arte Contemporânea” e “Arte Brasileira na Coleção Bettiol”. Em função de sua atuação como crítico e curador de arte, recebeu, em 2004, o Prêmio Gonzaga Duque, da ABCA – Associação Brasileira de Críticos de Arte, por atividades desenvolvidas no ano anterior e, em decorrência de sua trajetória como critico, recebeu, também da ABCA, em maio de 2011, o Prêmio Mário de Andrade.

ARVORE NÃO ÁRVORE

Para o curador da exposição, Fernando Flexa, “a ceramista Nelise Ometto, em sua nova exposição, apresenta em seu universo lúdico, um conjunto de árvores misteriosas em suas formas, maravilhosas em suas folhagens e instigantes em suas proporções únicas, ora alongadas como se habitassem paisagens imaginadas por Giacometti, ora reduzidas em proporções diminutas, como se a Ilha de Lilliput fizesse divisa com a rua onde habitamos. Estas árvores não árvores moldadas pela ceramista, se agrupam em florestas únicas, que desenham linhas no horizonte, formam pequenos recantos e criam microuniversos para reinventar uma paisagem de relevos suaves e horizontes longínquos. É assim que o Espaço e Arte Joh Mabe nos apresenta em múltiplas instalações, uma nova geografia e uma nova vegetação, formadas pela argila, cor e poesia de Nelise Ometto.

Segundo Enock Sacramento, autor do livro, as últimas obras de Nelise, produzidas durante a elaboração do livro, se constituem em frutos maduros de sua produção escultórica ceramística. Trata-se de trabalhos referenciados na árvore, tema ao qual ela se dedica há muito anos, mas que agora ganhou uma nova dimensão.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Exposições, São Paulo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s